Academia Electrão

Resíduos eléctricos nas medalhas olímpicas em 2020

Resíduos eléctricos nas medalhas olímpicas em 2020

A próxima edição dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, que se realizará em Tóquio, terá uma particularidade muito especial: todas as medalhas que a entregar serão produzidas a partir de Resíduos de Equipamentos Eléctricos e Electrónicos.

A recolha começou em Abril de 2017, com a organização Tóquio 2020 a incentivar a população local e as empresas a doarem os equipamentos danificados e ultrapassados que já não usavam. Apesar de noutras edições já terem sido recuperados materiais para a produção das medalhas olímpicas, esta será a primeira vez em que a totalidade das medalhas será totalmente produzida com recurso a materiais recuperados. Para além disso, é também a primeira vez que a comunidade é envolvida na recolha dos resíduos que permitirão alcançar a meta de equipamentos necessários para avançar com a produção.

O objectivo a atingir até ao final de Março de 2019 é garantir a recolha de cerca de 30 kg de ouro, 4.100 kg de prata e 2.700 kg de bronze. Segundo a organização, até Outubro de 2018, a totalidade do bronze estava garantida. O ouro e a prata obtido até então era de respectivamente 94% e 85%.

Num país como o Japão onde existe uma grande produção e consumo deste tipo de equipamentos, esta será certamente uma ação que sensibilizará para a necessidade de encaminhar correctamente os resíduos de equipamentos eléctricos para os locais próprios garantindo a sua devida gestão.

Este projecto ao permitir a reciclagem de matéria-prima seria enquadrável na categoria ‘Reciclagem Electrão’ da Academia Electrão! Uma coisa é certa: independentemente dos atletas que vençam as provas, os resíduos de equipamentos eléctricos vão estar no pódio!

15 março 2019